DOCES DIVAGAÇÕES

Pensamentos voam e, de repente, pousam aqui.

A Queda

Lançei-me abismo abaixo
Num pulo só, sem pensar
Vontade incontrolável
Velocidade acelerada

Fui, mas consciente?
Sem hesitar?
Nem questionar?

Eu não sabia
E ainda não sei
O que esperar

Fulgura uma esperança
Que me desperta
Que queima, arde
E me consome

Atos imprevisíveis
Gestos que não são meus
Formalidades
Banalidades

E de repente um clarão
Seguido de um zunido
Absorto pelos pensamentos
Fiquei atordoado

O tempo parou
Vi meu corpo estraçalhado
Sem batimentos
Nem sentimentos

Mesmo abatido
E totalmente desorientado
Levantei-me, sem pressa
Voltei a caminhar

A QuedaImagem obtida nesse sítio, mas não tenho ideia de seus direitos autorais.

Anúncios

Comente agora mesmo!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Informação

Publicado às 26/03/13 por em Literatura e marcado , , , , .
%d blogueiros gostam disto: