DOCES DIVAGAÇÕES

Pensamentos voam e, de repente, pousam aqui.

5 listas fundamentais

Sabe quando você acorda estranho, um tanto quanto pensativo e reflexivo? Nessas horas é bom ouvir a intuição e parar um pouco para analisar sua vida e como andam seus sentimentos sobre você mesmo. É comum ligarmos o botão do piloto automático e vivermos a rotina como se nada pudesse ser mudado, seja para inserir, seja para remover situações de nossas vidas. Dessa forma, a fim de revestir este processo com um caráter científico – permitindo que haja reprodução a qualquer tempo -, é importante pensar logicamente e colocar num papel o objeto de análise, para que os resultados possam ser mensurados após certo período.

A primeira etapa a se fazer é criar uma lista formada por 05 (cinco) elementos básicos. Aquilo que amamos, odiamos, tememos, queremos e precisamos. Primeiramente, trago o conceito de cada um para um melhor entendimento, seguido da explicação respectiva.

Amar [Do lat. amare.] V.t.d. 1. Ter amor a; querer muito bem a; sentir ternura ou paixão por. 2. Ter afeição, dedicação ou devoção a; prezar. 3. Sentir prazer em, apreciar muito, gostar de. 4. Praticar; realizar o amor físico com; possuir. 5. Ant. Desejar, querer. 6. Ant. Preferir, escolher. 7. Ter amor; estar enamorado. 8. Ser propenso ao amor ou capaz de amar. 9. Praticar o ato sexual. 10. Experimentar um sentimento mútuo de amor, ternura, paixão. 11. Votar amor a si mesmo.

É fundamental listar tudo aquilo que amamos, começando obviamente por nós mesmos. Se você não se coloca em primeiro lugar, estará cometendo um suicídio silencioso e invisível. Sem qualquer envolvimento religioso com a questão, mas amor próprio é fundamental para que possamos amar qualquer outra criatura. Acrescente à lista, além de pessoas queridas, quaisquer outros entes e situações, como passear no parque, saborear uma sobremesa ou praticar um esporte: tudo aquilo que lhe confere prazer ao ser realizado e que você quer repetir enquanto estiver vivo(a).

Odiar [De ódio + –ar²] V.t.d. 1. Ter ódio a; detestar; aborrecer, abominar. 2. Sentir aversão ou repugnância a; aborrecer profundamente; desprezar. T.d.e.i. 3. Intrigar, indispor, inimizar. 4. Ter ou sentir ódio. 5. Sentir raiva de si mesmo. 6. Ter ódio recíproco.

Faz-se necessário, também, listar tudo aquilo que se opõe ao item anterior. É extremamente importante saber tudo que você não gosta, seja em você, seja em outrem, seja no mundo ao seu redor. Tenha ciência de tudo isso para que você possa evitar passar por momentos desagradáveis e indesejados. Exemplo simples: se você detesta água do mar, não aceite convites para ir a um cruzeiro ao estilo Royal Carribean. Quando se trata de situações que você não gosta, detesta e tem repugnância em outras pessoas, tenha discernimento para lidar de maneira polida e respeitosa. Saber conviver é fundamental, respeitando os limites ao ajustar arestas aqui e acolá.

Temer [Do lat. timere.] V.t.d. 1. Ter medo, temor ou receio de; recear. 2. Tributar grande reverência ou a respeito a. 3. Ter cuidados, preocupar-se, inquietar-se. 4. Sentir susto, receio ou temor.

Parece estranho, mas podemos temer pessoas ou situações que nem imaginamos. Vale a pena fazer uma busca interna e acabar de vez com certos temores, especialmente quando se trata de relacionamentos e de novas aspirações profissionais. Muitas pessoas são cheias de “não posso isso” e “não posso aquilo”, porque seus medos internos lhe impedem de seguir adiante. Reconheça seu potencial. Regojize-se com ele. Relacione todas suas travas emocionais e enfrente-as.

Querer [Do lat. quaerere, ‘procurar’.] V.t.d. 1. Ter vontade de; desejar. 2. Ter a intenção de, projetar, tencionar, desejar. 3. Desejar possuir ou adquirir. 4. Ordenar, exigir. 5. Desejar, apetecer. 6. Consentir, permitir. 7. Necessitar de; demandar, requerer; pedir. 8. Ambicionar, cobiçar. 9. Ser de opinião; julgar, acreditar. 10. Pretender; solicitar. 11. Condescender em; dispor-se a. 12. Estar na iminência de; ameaçar. 13. Estar próximo de. 14. Ensaiar, tentar. 15. Ter a bondade de; fazer o favor de; dignar-se; poder. 16. Ter possibilidade de; poder. 17. Desejar que (alguém) chegue a (certa posição). 18. Ter afeição; gostar; estimar. 19. Ter ou manifestar vontade firme e decidida. 20. Ter o desejo de estar (em certo lugar, ou em certa companhia, etc). 21. Ter necessidade, ânsia.

Aqui reside uma das listas mais tranquilas de se fazer. A princípio, é fácil identificar aquilo que queremos. Seja uma blusa nova, um tênis diferente, um smartphone de última geração. Mas não só de materialidade vive o homem. Elenque tudo aquilo que deseja, que faz seu coração pulsar e seus olhos brilharem. Não é frescura, é relacionar desde os items mais simples até os sonhos de infância. É querer viajar o mundo inteiro e conhecer as capitais de todos os países; é querer abrir um restaurante e saber que ganhará a insígnia de 5 estrelas; é almejar uma casa enorme para reunir amigos e familiares. Definitivamente, é tudo aquilo que você verdadeiramente quer.

Precisar [De preciso + -ar².] V.t.d. 1. Indicar com exatidão; particularizar, distinguir, especializar. T.i. 2. Ter necessidade; carecer, necessitar. 3. Ser pobre, necessitado. 4. Ser preciso ou necessário.

Já nesse item, todavia, encontra-se uma das listas mais antagônicas e comprometedoras. Afinal, verdadeiramente, do que você precisa? Entendo que os tempos mudaram e não vivemos na Idade da Pedra, tampouco na Idade Média. Mas será que realmente precisamos de certas coisas que a mídia e a indústria tanto nos empurra goela abaixo? Entendo que as opiniões podem ser muito pessoais, porque de repente o que para mim é sinônimo de felicidade para outra pessoa não é. Mas, no fim das contas, se analisarmos bem, muitas coisas que pensamos ser essenciais nada mais são que frivolidades temporárias.

Por fim, você terá então uma relação caprichada com muita informação. E se não der o devido tratamento é o mesmo que comprar um livro de receitas culinárias, folhear algumas páginas e nem se coçar para preparar um frango à milanesa.  Voltando ao tópico, você sabe o que realmente ama, o que detesta, quais seus medos, o que deseja muito e o que realmente necessita.

O segundo passo, então, é priorizar os itens. Para o que você ama, a ordem definirá o quanto mais algo ou alguém tem maior representatividade em seu coração; para o que você odeia, permitirá que você trate internamente, a fim de entender a causa e assim exterminar tais sentimentos; para o que você teme, segue a mesma linha do ódio, priorizando para eliminar; para o que você quer, seja prático: primeiro o que você acredita ser mais fácil de obter e por conseguinte aqueles que você quer a longo prazo; e por último, tudo aquilo que atenderá suas necessidades básicas e primordiais.

cicloUma coisa bem bacana de todo esse processo é que você pode (e deve) analisá-lo periodicamente, a fim de comparar a ‘teoria’ com a ‘prática’, ou seja, se os resultados pretendidos foram alcançados. É um processo cíclico e que perdurará por todas nossas vidas, uma vez que estamos em constante mudança (amores, ódios, temores, anseios e necessidades). Tenha certeza, os resultados virão mais rápido do que você pensa.

Anúncios

Comente agora mesmo!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: