DOCES DIVAGAÇÕES

Pensamentos voam e, de repente, pousam aqui.

Pressão equilibrada

Pressão. [do lat. pressione.] S.f. 1. Ato ou efeito de comprimir ou apertar. 2. Fig. Influência constrangedora e coercitiva; coação. 3. Bras. Colchete de pressão. 4. Fís. Numa superfície sujeita à ação de uma força de módulo constante perpendicular a ela, o quociente da força pela área da superfície.

Quem nunca se sentiu sob pressão que atire a primeira pedra ou qualquer objeto que esteja mais próximo. Praticamente de mãos dadas com o estresse convive a pressão. Obviamente que nem sempre ela possui o caráter coercitivo supracitado, sendo apenas um efeito poderoso sobre as pessoas, exercido por superiores no trabalho, por entes familiares ou mesmo amigos. Ressalto até a pressão exercida por entidades abstratas, como o comércio e tradições populares. Abordarei cronologicamente, a seguir.

Quando somos crianças, praticamente não temos obrigações e o que nos resta é brincar, ser obediente aos pais, respeitá-los e cumprir com deveres domésticos e/ou escolares. Parece uma família padrão, perfeita, sem problemas. Porém, é possível perceber indícios de cobranças, que aplicadas erroneamente podem influenciar os indivíduos. Casos que exemplificam: pais que obrigam os filhos a praticarem determinada atividade física porque não tiveram em sua infância (mas nem perguntaram se os filhos estão realmente gostando de praticá-las) e pais que impõe características próprias aos filhos, para que fiquem iguais a eles. Ressalto para um ponto importante: há diferenças entre cobrar e pressionar uma pessoa. É extremamente correto que os pais cobrem do filho o andamento escolar, para que estude, não falte aulas e finalize o ano letivo com êxito; ensinem matemática financeira para que saibam poupar e gastar suas próprias economias; cobrem educação e comportamento dentro de casa, etc.

Quando adultos, as responsabilidades são praticamente infinitas. A gama de atuação aumenta para a tríade básica: família, trabalho e relacionamento. Somos cobrados e precisamos prestar contas aos nossos familiares, aos nossos chefes e ao nosso parceiro (marido ou esposa). No âmbito laboral, os líderes devem saber equilibrar o nível de pressão com o entusiasmo dos colaboradores. E, de forma sincera, acredito que essa situação possa se aplicar, sem problemas, à administração pública e à iniciativa privada. Como assim? Se um empregado é motivado demais, perde o foco; se for pressionado demais, também. O funcionário tem que se sentir importante para a organização e saber o quanto seu trabalho contribui aos acionistas e à sociedade (trabalhar com entusiasmo) ao mesmo tempo em que precisa ser pressionado para realizar suas atividades em menor tempo e com maior qualidade (trabalhar sob pressão). Para um líder a pressão é dupla, pois assim como há subordinados, há superiores. Se aplicássemos essa fórmula à vida amorosa, num relacionamento uma pessoa deve se sentir devidamente feliz por estar com a outra ao mesmo tempo em que precisa aprimorar a relação para não perder para a concorrência.

E quando você imagina que não é tão difícil quanto pensava, surgem manifestações que lhe pressionam dos pés à cabeça. Começa com a família (e alguns amigos, inclusive), ao dizer que você precisa de um lugar próprio para morar, ou, na eventualidade de já ter, que precisa trocar os móveis ou até o próprio imóvel; que você precisa ter um carro decente; que você precisa se casar; que você precisa ter filhos (e posteriormente netos); que você precisa de um emprego melhor; que você devia ter feito um curso diferente; que você isso ou aquilo.

Se você acha que acabou, aparece de maneira sorrateira o comércio, pressionando-lhe com propagandas esmagadoras de eletrônicos, carros e imóveis. Porque, segundo ele, você precisa ter isso ou aquilo. E a sociedade, de modo geral, é comparsa e atua em prol do comércio. Não são cobranças. Trata-se de reais pressões sobre os indivíduos com o intuito de perpetuar o consumismo exacerbado.

Infelizmente, viver sob pressão faz parte de nossas vidas, não há o que discutir. Há quem saiba lidar com isso facilmente, mas há também quem esteja aos prantos procurando uma saída para seus problemas. Contudo, autocontrole e muita calma são essenciais para qualquer um para que coisas andem como deveriam. Seja flexível e não exija dos outros além do limite. Todos têm seu ponto de equilíbrio e se este for quebrado não há como garantir a disposição moral ou mental de qualquer indivíduo.

Anúncios

Comente agora mesmo!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Informação

Publicado às 14/11/12 por em Reflexão e marcado , , , , , , , , .
%d blogueiros gostam disto: