DOCES DIVAGAÇÕES

Pensamentos voam e, de repente, pousam aqui.

10 dicas para não surtar antes dos 40 anos

Durante essa semana recebi de um amigo a seguinte publicação, feita no portal Exame.com e escrito por Talita Abrantes. Gostei tanto que resolvi trazer, na íntegra, a redação “10 dicas para não surtar antes dos 40 anos“. Acrescentei apenas algumas observações com relação ao tema abordado.

São Paulo – A geração Y nem bem estreou na casa dos 30 anos, mas já acumula no currículo experiências que muita gente das gerações anteriores sequer cogitou viver. Mas, se mal administrada, esta vantagem pode transformar-se em uma perdição. “A questão de ter e poder atrapalha muito esta geração. Eles querem ser e ter, mas não têm tempo para isso”, afirma Neto Pucci, da J. Pucci. E este descompasso pode levar muita gente a chegar à maturidade com uma coleção de frustrações e assuntos mal resolvidos. Como, diante de tantas possibilidades e pressão, chegar aos 40 anos (quando muitos passam pela crise da meia idade) com a vida em ordem? A resposta, de acordo com especialistas, está na forma como você encara a própria vida e carreira. Confira:

1 – Trabalhe com brilho nos olhos

Os salários até podem ser tentadores. Mas nada paga o gosto de trabalhar com brilho nos olhos. Então, dica básica para chegar aos 40 anos com a sanidade ainda em alta? Não coloque o dinheiro como a medida para tudo em termos de carreira. “A geração Y está muito relacionada ao bem estar e prazer naquilo que faz. Se trabalhar em algo que não gosta, mesmo que ganhe bem, não se sentirá plena”, afirma Acacio Queiroz, presidente da Chubb Seguros. Por isso, de acordo com ele, é essencial descobrir que tipo de trabalho faz você ficar bem já no início da vida adulta. A questão, neste ponto, é definir a sua vocação. Em outros termos, o norte para a sua carreira. Mas, calma, isso não significa que desde cedo você precisa escolher (e pior, se prender) a um setor, empresa, cargo ou profissão.

Observação: acredito que, no melhor dos mundos, nosso trabalho deve ser focado naquilo que fazemos e não pelo quanto ganhamos. Sendo assim, o mais interessante seria ter uma reserva muito grande acumulada ($) para exercer a profissão que realmente deseja, seja ela financeiramente esplêndida ou não.

2 – Não abrace o mundo

Ter clareza sobre quem você é e o que quer da vida é essencial para diminuir a tendência de, literalmente, abraçar o mundo. “Cada cenário é sedutor. E a geração Y quer atingir o pico das possibilidades como se o mundo fosse acabar amanhã”, diz o consultor Sidnei Oliveira, autor do blog do Sidnei Oliveira em EXAME.com. Mas, até que a gente viva o contrário, ainda há alguns bons calendários pela frente. E é preciso ser estratégico para encará-los. “No jogo de tabuleiro War, se você conquista muitos territórios, precisa distribuir os exércitos. Mas isso pode enfraquecer seu contingente e você pode perder o que conquistou”, afirma o especialista. A mesma lógica pode se aplicar à vida. “Tudo o que é muito superficial pode não durar tanto”, diz. Por isso, para chegar aos 40 anos com uma vida sólida é preciso ter foco.

3 – Tolere as perdas

Agora, é importante salientar que foco sempre demanda escolhas. E escolhas, perdas. “Você não vai ter todas as suas decisões e vontades atendidas simultaneamente”, diz Oliveira. O consolo é que abrir mão disso ou aquilo hoje, não significa abdicar deles amanhã. “A perda de hoje pode ser um novo momento no futuro”, afirma o especialista. “As gerações anteriores ficavam angustiadas porque tinham apenas uma bala para dar o tiro. A geração Y tem mais balas e mais tempo para testá-la”, diz o especialista. “Então, aproveita. Escolhe uma bala e dá o tiro. Não fique lustrando a arma”.

4 – Dê tempo para expectativas

Por isso, de acordo com os especialistas, é essencial ter noção de que ainda dá tempo. “Esta é a primeira geração que tem chances reais de administrar melhor ansiedade porque tem uma maior expectativa de vida e mais recursos para fazer tudo”, diz Oliveira. Neste ponto, cuidado para não pular etapas também. Movido por uma excessiva ambição, há quem dê passos para além das próprias pernas e desemboque em cenários insustentáveis para si mesmo. “Essa geração foi criada com a sensação de que o sucesso tem que ser imediato, mas algumas coisas dependem de tempo e experiência”, afirma Bernardo Entschev, presidente da consultoria De Bernt Entschev. “Às vezes, é preciso ir mais devagar”.

Observação: considero hipócrita alguns pensamentos de certos “gurus-empresários”, que estão muito em voga, porque eles já atingiram uma sólida situação financeira e de trabalho. Evitar que pessoas queiram seu primeiro R$ 1 milhão antes dos 30 é ceifar a criatividade e a capacidade intelectual e profissional das pessoas.

5 – Resista à frustração

Lembre-se que errar, realmente, faz parte de todo processo de crescimento na vida, na carreira e no que mais você quiser. “A nossa experiência é formada pela soma dos nossos erros”, diz Queiroz. Então, não há porque ceder à frustração quando algum plano ou projeto cai destroçado no chão. “É essencial melhorar seu nível de resiliência”, diz Entschev.

6 – Pare com o “mimimi”

Se alguns, por um lado, querem correr rápido demais, outros simplesmente empacam por medo. Mas a dica? “Trabalhe duro e pare com o mimimi”, brinca Oliveira. Não é preciso ter todas as fichas nas mãos para jogar. Muito menos toda experiência e formação para aceitar novos desafios. “Você não vai estar pronto para tudo. Você não precisa saber todas as modalidades para poder nadar”, diz o especialista.

7 – Fuja das distrações

A dica básica para ter uma rotina mais leve é ser um bom gestor do seu tempo. “Em geral, esta geração tem muita dificuldade de concentração”, diz Entschev. Limar os hábitos que tornam a rotina improdutiva não é suficiente para acabar com esta tendência. “O equilíbrio está em resolver um problema de cada vez. Escolhe um e foca naquilo”, afirma Neto Pucci, da J. Pucci.

Observação: infelizmente há muitas pessoas com capacidades intelectuais incríveis, permitindo-as pensar em diversas coisas de maneira simultânea. O problema é que não conseguem, procedendo dessa forma, resolver diversos problemas ao mesmo tempo. Alguns acumulam-se aos outros, aumentando o tempo de solução. O foco refere-se justamente a fazer uma coisa de cada vez. A organização doméstica é um ótimo exemplo: uma vez que você consiga arrumar o seu quarto, pode seguir para outro cômodo da casa. E assim por diante.

8 – Respeite seu corpo

A pessoa pega a balada de sexta, sábado e domingo. Depois que trabalhar bem na segunda-feira”, diz Pucci. Por isso, equilíbrio deve ser palavra de ordem para quem quer chegar bem aos 40 anos de idade. Na prática, isso significa desde uma alimentação mais saudável, passando pela prática de exercícios físicos até uma agenda bem organizada com relação a trabalho e vida pessoal.

Observação: organização não significa engessamento do tempo. Você pode – e deve – ter tempo para lazer, para curtir um dia de fossa ou mesmo para ficar à toa em casa. Mas deve programar-se para conciliar, de maneira agradável, todos seus afazeres.

9 – Apegue-se às pessoas

Uma dose de ambição até pode ser saudável para o crescimento na carreira. Mas isso, de acordo com os especialistas, não deve ser a última palavra quando o assunto é a vida. “É essencial compartilhar muito de perto com a família tudo o que ele está fazendo. Ter apoio da família é fundamental”, diz Queiroz. O período que se estende do fim da faculdade até a meia idade até pode garantir condições para você crescer ao máximo na carreira. No entanto, isso não deve ser justificativa para pisotear tudo e todos ao seu redor. Sucesso profissional não é tudo na vida. Para chegar à maturidade de maneira equilibrada é fundamental manter relacionamentos saudáveis ao seu redor.

Observação: tenha, apenas, bom senso no trato que você tem com sua(s) rede(s) socia(l)(is) favorita(s).

10 – Desapegue-se do que sufoca

Lembre-se que para tudo há um tempo certo na vida. O que significa que, vez ou outra, você terá que abrir mão de algo que faz parte da sua vida em nome de abrir espaço para o novo. “Tudo que empaca a sua vida, elimine num curto espaço de tempo. Se o emprego está sufocando, não fique por causa do dinheiro. Saia e arrume novas oportunidades”, diz Pucci.

Observação: a renovação deve ser constante. Quem fica estagnado cria raízes. Contudo, pondere sempre e veja a relação custo-benefício. Enquanto o prazer e a satisfação estiver maior que quaisquer outros fatores, continue. Caso contrário, a palavra de ordem é: mudança!

Anúncios

Comente agora mesmo!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Informação

Publicado às 10/05/12 por em Reflexão e marcado , , , , , , , .
%d blogueiros gostam disto: