DOCES DIVAGAÇÕES

Pensamentos voam e, de repente, pousam aqui.

Poder Sem Limites (Chronicle)

Ontem tive a felicidade de assistir ao filme Poder Sem Limites (Chronicle, EUA, 2012), dirigido por Josh Trank. O filme tem como personagem principal Andrew Detmer (interpretado por Dane DeHaan), estudante de uma escola em Seattle, no estado de Washington. Na adolescência, sofre por diversos motivos: timidez, sua mãe está com câncer e o pai é um alcoólatra invalidado pelo Corpo de Bombeiros. Motivos suficientes para que ele seja vítima de bullying, já que sua popularidade não é das mais altas.

Para piorar, ou então procurar dar um sentido à sua vida, Andrew resolve filmar tudo que se passa ao seu redor. Certo dia, seu primo Matt (Alex Russel) o convida para uma rave em uma área florestal, levando junto sua câmera. Uma discussão ocorre e Andrew se vê, mais uma vez, deslocado e afastado das pessoas, enquanto aguardava que Matt fosse embora. Eis que aparece Steve (Michael B. Jordan), político e estrela da escola, chamando-o para ver algo sensacional que haviam encontrado em um campo próximo ao local da rave. Tratava-se de um buraco enorme que emitia sons muito estranhos. Os três, então, adentram o local e, após alguns metros de caminhada, descobrem algo inusitado (não falarei para não aumentar o spoiler).

Semanas depois, os garotos percebem que começaram a desenvolver capacidades telecinéticas (wiki). Impressionados com os feitos recém adquiridos, os garotos aumentam, cada vez mais, as experiências com as práticas conquistadas. Matt cria uma teoria de que as habilidades funcionam como músculos, tornando-se mais fortes a cada uso. Não somente porque devem manter tudo isso em segredo, mas por razões óbvias de aumento da capacidade de suas habilidades, os três ficam muito próximos, deixando de lado suas vidas pessoais e/ou estudantis. Reúnem-se em qualquer tempo livre para aperfeiçoarem seus feitos.

Acontece que, em determinado momento, uma das brincadeiras sai pela culatra e uma pessoa é ferida. Há uma enorme discussão envolvendo ética, abuso de poderes, criação de regras e limites, especialmente contra o uso em criaturas vivas. Todos são adolescentes, então é inevitável haver brigas e ressentimentos. A vida volta ao normal e o uso dos poderes é relativamente comedido, sendo usado apenas para diversão própria sem a interferência a outras pessoas.

Mas, nem tudo são flores, então algo errado iria acontecer. A partir do momento em que Andrew usa das suas habilidades em um show de talentos a vida dos três entra em um turbilhão de sentimentos, situações e fatalidades. Todas dignas de tensão e apreensão, deixando os espectadores aflitos diante das cenas exibidas. Outros filmes, como A Bruxa de Blair (The Blair Witch Project, EUA, 1999), Atividade Paranormal (Paranormal Activity, EUA, 2007) e Filha do Mal (The Devil Inside, EUA, 2012) utilizaram o mesmo recurso da filmagem pelos protagonistas, mas, em nenhum deles, percebi o efeito existente em Poder Sem Limites.

Inegável dizer que gostei desses filmes (até certo ponto), mas não foram tão felizes nem chegaram tão perto de Chronicle, com exceção de:  Cloverfield (EUA, 2008), O Último Exorcismo (The Last Exorcism, EUA, 2010) e Apollo 18: A Missão Proibida (Apollo 18, EUA, 2011). No filme dirigido por Josh Trank é impressionante como as filmagens se enquadram hermeticamente, quer seja por meio da câmera de Andrew, quer seja por outras por outras pessoas e serviços, sem dar margem a questionamentos inócuos ou levianos.

Outro ponto muito interessante é quanto aos locais de filmagem. São paisagens incríveis que rementem aos cartões postais de Seattle e de outros locais que aqui não podem ser revelados. E algo que me chamou a atenção: não existe trilha sonora. Eu sou pleno amante de original soundtrack (OST), especialmente quando elaboradas pelo John Williams e Michael Giacchino. Contudo, até mesmo pela forma de filmagem de Poder Sem Limites, não há trilha sonora, exceto pela rave e por outros momentos específicos. Bem, se alguém tiver alguma novidade, avise-me!

Finalizando, com um orçamento de US$ 15 milhões, Poder Sem Limites já chegou a marca de US$ 105 milhões de arrecadação, plenamente justificáveis. Pode ser que minhas críticas de cinema sejam, em sua maioria, favoráveis aos títulos em cartaz. Todavia, sinto melhora significativa em alguns gêneros específicos e, particularmente, em alguns enredos. Chronicle certamente está na lista de um dos melhores filmes de 2012. Só espero que não haja uma continuação.

Anúncios

Um comentário em “Poder Sem Limites (Chronicle)

  1. Erick
    12/03/12

    Estou louco pra ver esse filme. Agora com sua opinião fiquei ainda mais interessado. Achei o trailer bem legal. Então já está nos cinemas. Bom saber. Valeu!

Comente agora mesmo!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Informação

Publicado às 09/03/12 por em Filmes e marcado , , , , .
%d blogueiros gostam disto: