DOCES DIVAGAÇÕES

Pensamentos voam e, de repente, pousam aqui.

Um tormento de gripe

Quem nunca sofreu com os sintomas de uma gripe e/ou resfriado que atire a primeira pedra. Inicialmente, conceituemos: resfriado e gripe são diferentes. Conforme abordado na Wikipedia, o resfriado é um estado gripal que incide no trato respiratório superior, ocasionando respostas imunológicas que caracterizam e são responsáveis pela secreção nasal. Já a gripe é muito mais grave, sendo causada por vários tipos de vírus, podendo causar náusea e vômito, especialmente em crianças.

Bem, vamos aos fatos: ninguém gosta de ficar doente! Especialmente quando nos referimos à dupla anteriormente citada. Geralmente a situação começa de forma branda. Basta estar com o estado imunológico em baixa, num programa ao ar livre e, obviamente, com alguém infectado por perto. No dia seguinte você acorda com o corpo esquisito, sem a noção completa de onde você está (cuidado para não se confundir com o efeito da ressaca alcoólica). Ao entrar no banheiro, você percebe que seu nariz não está como de costume. Logo ao sair do banho alguns espirros aparecem.

Mas quando você chega no trabalho é que a coriza aparece e toma conta do seu corpo, como uma entidade espiritual apossando-se do seu corpo. No meio daquela reunião importante, às 10:00 AM, aquele líquido inesperado surge e começa a deixá-lo transtornado. Imediatamente você puxa o lenço do paletó e se sente aliviado. Contudo, ao fim do dia sua cabeça não aguenta de tanta cefaleia, impedindo-o de raciocinar sobre as tarefas pendentes. Tudo o que você gostaria nesse momento é de um chá quente, uma coberta macia e aquele caldo de galinha que só sua mãe sabe preparar.

Mas, o que lhe aguarda? Uma casa desorganizada, armários e geladeira vazios e a incessante sensação de mal estar. Ao checar a gaveta de medicamentos, percebe que lhe faltam os principais antigripais. Nem aqueles que são exibidos diariamente nas propagandas você tem. Seu nariz está maior do que sua orelha, tamanho inchaço. Ao soar o nariz, você se dá conta de como os sons do Tiamat (vide Caverna do Dragão) foram elaborados. Liga então, para a farmácia e faz aquele pedido. Aproveita o telefone e liga para a lanchonete mais próxima, porque nem um miojo você está em condições de preparar.

Após comer, tomar um banho e se auto-medicar, resolve deitar o mais cedo possível. Contudo, como se fosse obra de um fantasma maligno, por volta das 03:00 AM você é acordado com espirros, tosses e expectorações com muco do trato respiratório. Mais uma vez, Tiamat é resgatado de suas entranhas, agora expelido com forma física, não muito agradável. Pelo menos o remédio está fazendo efeito, você pensa. Volta a dormir, desejando não trabalhar no dia seguinte.

O despertador, ávido por trabalho, inicia as atividades logo cedo. A fadiga lhe impede de sair da cama, mas, mesmo assim, você reúne forças de locais que você desconhece a existência. Ao tomar o café da manhã, constata mais uma tragédia: a perda do paladar. Até isopor deve ter mais gosto, creio eu. Você ingere os alimentos com pouco ânimo, até porque não sente fome. Chega ao trabalho e a manhã demora a passar. Você  é chamado para almoçar naquele badalado restaurante, cujo preço da conta chega à casa das centenas. Naturalmente você recusa, porque não gastará tanto para sequer sentir o cheiro da comida. As reuniões com a chefia são enfadonhas e você não consegue ouvir seus próprios pensamentos. Uma ida ao banheiro é suficiente para pensar que irá morrer; bem, talvez esse seja o pensamento da pessoa na cabine ao lado, pois não imagina como alguém é capaz de produzir tantos sons em tão pouco tempo.

As dores pelo corpo são intensas e você recebe orientação para procurar o órgão de saúde do trabalho (ou qualquer coisa que o valha). A médica, cuja altura está mais para Mestre dos Magos, lhe assusta num primeiro momento; mas seu atendimento é satisfatório: você consegue um atestado de 07 dias. Consecutivos. Bem, nem tudo são flores e você tem de agradecer porque ainda é terça-feira.

Com as medicações corretas, prescritas pela médica, você se vê renovado. Quase diz “pronto para outra”, mas então se lembra de tudo o que passou e não deseja, nunca mais, sofrer com tal situação. Até chegar a semana do Campeonato Brasileiro…

Anúncios

2 comentários em “Um tormento de gripe

  1. S
    03/08/11

    E o que fazer, quando se é acometido de uma doença crônica chamada síndrome da indisposição para assuntos trabalhais aguda? A gripe o resfriado passam, já para esse mal, ainda não encontrei a cura…

  2. lady_dee
    03/08/11

    Manter a saúde mental ajuda a evitar os resfriados/gripes, e no meu caso a maldita alérgia ¬¬ Tristeza deixa o seu sistema imune bem down (tadeenho) aí fica mais fácil ser acometido por doenças. Então minha gente!!! Bora tentar manter o alto astral ^.~

Comente agora mesmo!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Informação

Publicado às 03/08/11 por em Humor e marcado , , , , , , .
%d blogueiros gostam disto: